Capítulo 16: Um Momento Gelado!

Capítulo 15: Brilhante e Desafiante Olivine!

Capítulo 17: Um Fantasma Nunca Anda Só!

Leandro teve um excelente combate de aprendizagem em Olivine contra a Líder Jasmine, onde ele também conheceu a Megaevolução. Agora ele dirige-se para Ecruteak, onde pretende saber mais sobre o estranho roubo que ocorreu no barco e disputar mais um combate de ginásio. Mas, eis que ele avista uma alta montanha vestida de branco.

– Ei, rapaz, tem cuidado… é bem frio por ali!

– Oh, olá… bom dia… sim aparentemente…
– Sou o Rory, responsável pela construção de toda a esta fonte termal. Mas a montanha é mesmo um local frio, mas com um belo agasalho tudo se resolve.
– Sim, sim, passarei pelo Centro Pokémon em busca de auxílio.

Do nada três pequenos Swinub aparecem junto de Leandro, e ele depressa saca da sua Pokédex para saber um pouco mais sobre eles.

– Swinub, o Pokémon Porco. Este Pokémon adora comer cogumelos que crescem sob a erva morta, procurando-os pelo cheiro e acabam por encontrar fontes termais nesse processo.
– Ahhh, cá estão eles… estes são o Su, Ein, e Ub… eles ajudam-me no meu trabalho com as fontes termais, gostam muito de passear pela montanha.
– São muito engraçados, realmente bem animados.
– Sim, cheios de vida e sempre com fome… porque não entras e almoças connosco que já são horas?! Vá, há sempre espaço para mais um.
– Ia fazer isso no Centro Pokémon… mas…
– Vá, sem vergonhas! Bora lá!

Leandro entra e aceita a hospitalidade de Rory que parece estar habituado a lidar com treinadores viajantes há algum tempo. Eles fazem uma boa refeição, depois disso Leandro parece confiante para seguir para a montanha gelada.

– Nada como barriga cheia para encarar uma aventura!
– Vejo que o jovem treinador gosta de aventuras, mas cuidado com a Montanha Pico de Neve.
– Sim, terei, muito obrigado pela hospitalidade Rory.

Leandro deixa a casa de Rory e dirige-se à famosa montanha, mas acaba por ser parado por um estranho senhor no meio do caminho.

– Olá jovem treinador!
– Que susto! Quem é você?
– Não interessa… tem cuidado na montanha…

– Sim, terei… agora tenho de seguir.
– O Lendário Articuno pode ser encontrado naquela montanha, bem como toda a sua lenda. Pessoas ambiciosas aparecem vindas de todo o globo para tentar caçá-lo… inútil…
– Pessoas ambiciosas… estou a ver, bem obrigado e desculpe.

O senhor acena satisfeito ao Leandro quando ele segue sem olhar para trás. Depressa ele se aproxima dos arredores da Montanha Pico de Neve. Olhando para o topo sem saber aquilo que lhe espera lá dentro… ele avança firmemente.

– Quando falavam em local gelado não brincavam.

Leandro avança, mas dá de caras com uma estátua de Articuno de madeira na entrada da montanha. Ele fica a admirar a estátua até que hoje algumas vozes alteradas.

– Temos de insistir em cava, vamos ter de encontrar alguma coisa.
– Sim senhor, pela honra e glória da Team Rocket!
– Team Rocket…. a placa….

Leandro assim que se apercebe da presença da Team Rocket decide recuar, ouvindo algo que se quebra junto aos seus pés… quando ele olha para baixo vê que se trata de um pedaço de pedra com escrita Unown… ele reconhece a pedra do pedaço que encontrou no Monte da Lua.

– Oh, isto vai comigo…

Sem fazer grande barulho, ele recolhe os dois pedaços que encontrou enfiando-os no fundo da mala sem olhar direito para a inscrição. De repente…

– PROFESSOR, ENCONTREI!
– Deixa cá ver isso!! Oh, sim pertence à placa… mas não me parece grande avanço. Continuem, deve haver mais alguma coisa por aqui.
– Bolas, eles encontraram um bocado… bem não me posso arriscar.

Leandro acaba por seguir por uma bifurcação diferente para se desviar da Team Rocket, se eles encontraram um bocado, ele encontrou dois que farão falta nos planos deles. Ele decide que o melhor é seguir o seu caminho e atravessar a montanha.

Pouco depois ele para porque ouve uma voz familiar.

– Vamos vá redondinho, salta cá pra fora… tenho frioooo….
– Olha quem é ela… Sonha Alto, tudo bem?
– Ohhhh, Sabe Tudo! Bom ver-te… estou numa missão!
– Missão!? Que missão?
– O Professor Kukui aconselhou-me vir para aqui… temperatura baixa ajuda este pequeno… mas não me ajuda a mim…. tenho frioooooo!
– Ahhh, estou a ver, estás a ver se o ovo eclode. Sabes que Pokémon vai nascer!?
– Não, mas deve ser um tipo Gelo!
– Faz sentido!

Eles seguem os dois, quando mais adiante encontram um local mais amplo da montanha. Bianca deixa o ovo acarinhado na neve que cai dentro do local, afinal tem abertura para a rua.

– Que tal um combate para aquecer?
– Olha que boa ideia… se é para aquecer! Fofinho Charmander, anda daí.
– Olha, ok… então vem cá Pidgeotto!
– Chamander usa Brasa!
– Pidgeotto cuidado, usa Rajada para desviar o ataque.

O Charmander usa um forte Brasa contra Pidgeotto que consegue desviá-lo com a sua Rajada, nisto o combate é interrompido por uma forte luz… o ovo está a eclodir.

– Oh, lindo, não acredito!
– Boa Sonha Alto, vem aí o teu novo parceiro.

O ovo termina de brilhar, dele sai um branco e felpudo Alolan Vulpix. Bianca mostra-se entusiasmada com o sucedido.

– Ohhhhhh que lindinho!! Branquinho como a neve.
– Já agora, quero saber mais!

– Vulpix, variante de Alola, o Pokémon Raposa, do tipo Gelo. Descoberto originalmente no Monte Lanakila, Alola. A sua respiração pode atingir uma temperatura de 60 graus negativos, congelando tudo aquilo em que toca.
– Gostava de testar a tua força em combate…
– Já sei, tenho o Pokémon ideal para isso!
– A sério!? Qual?
– Anda daí, Cascoon.
– Olha que bem!
– Cascoon, não é pedir muito, apenas quero que fiques imóvel e deixes o Vulpix fazer o que quiser, está bem?
– Coon-coon.
– Vamos a isto Vulpix, usa Neve em Pó!

O pequeno Vulpix ataca com confiança e o Cascoon simplesmente permanece no mesmo local como se não fosse nada com ele… afinal o tipo Gelo nem causa muitos danos num tipo Inseto.

Longe dali no quartel general da Team Rocket.

– Desculpe Sr. Giovanni… encontramos dois novos pedaços da placa, mas pelo que pode ver não acrescentam em nada ao que já sabemos.
– Sebastian, estou a ver… sabes se o resto pode estar aí na Montanha Pico de Neve?
– Não há como ter certezas senhor, mas tudo indica que sim devido aos fragmentos tão miúdos que estamos a encontrar.
– Então continua as buscas, se nada encontrares avisa-me!
– Sim senhor, pela honra e glória da Team Rocket.
– Não acredito… o que eles encontraram é da parte exterior… onde andará o resto da placa?!

Voltando ao pequeno combate.

– Cascoon, vamos ser meigos… usa Arremesso de Teia.
– Vulpix esquiva-te e volta a usar Neve em Pó.

O pequeno Vulpix consegue esquivar-se do ataque e usa novamente um forte Neve em Pó que atinge o Cascoon… este acaba por não se aguentar ficando fora de combate.

– Boa meu pequeno, venceste o teu primeiro combate!
– Volta Cascoon, obrigado pela ajuda.
– Obrigado pela ajuda Sabe Tudo… agora tenho de ir!
– Ir!? Para onde??
– Ah, vou para Olivine quero conhecer a Jasmine e ter um combate contra ela!
– Fazes bem, mas aviso-te que ela é forte e tem… depois descobres!
– QUÊ!? NÃO ACREDITO QUE NÃO DIZES…
– Qual seria a graça se soubesses já!?
– Quase que tenho vontade de te passar uma multinha! Ok, vou indo… adeus!

Sem pestanejar, Bianca arranca a toda a velocidade e o Leandro não a vê mais, ele até se esqueceu de avisar sobre a Team Rocket, mas também tem noção que ela dificilmente os encontra apressada e avoada como é…

– Anda cá Cascoon! Não sabia que agora também eras ator.
– Coon-coon.

O Pokémon “sorri” com os olhos para o seu treinador, Leandro conseguiu perceber que ele tinha fingido ficar fora de combate apenas para aumentar a confiança do pequeno Vulpix recém-eclodido do seu ovo.

– Obrigado Cascoon, não quis dizer nada para a Bianca não se chatear comigo.
– Cas-cascoon!

Dentro da Montanha Pico de Neve está um estranho homem que pega em algo do chão, sorri e coloca o achado em segurança na sua bolsa de viagem. Por sua vez, Leandro deixa a montanha em direção da Ecruteak, vislumbrando uma criatura nos céus que lhe levanta algumas dúvidas…

– Parece ser Articuno, mas está diferente…

Leandro segue o seu caminho contente por ter atrapalhado os planos da Team Rocket, sejam eles quais forem, por ter ajudado Bianca e ainda por vislumbrar um lendário mesmo que longe. Que aventuras e descobertas o esperam em Ecruteak?

Nota do Autor: Peço desculpas a quem está a acompanhar a Liga Internacional, mas infelizmente atrasei-me a concluir o capítulo. Originalmente a Bianca não iria receber um Alolan Vulpix, mas achei que o Pokémon faria sentido aqui. Quanto ao vislumbre de Leandro, bem provavelmente já perceberam do que se trata, apenas para ficar diferente.
Espero conseguir cumprir com a data de 10 de agosto. Obrigado por tudo!

Capítulo 15: Brilhante e Desafiante Olivine!

Capítulo 17: Um Fantasma Nunca Anda Só!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *